terça-feira, 10 de maio de 2011

Tatostado


Todo fim de almoço de sábado meu pai fatiava bananas, polvilhava açúcar e saía andando pela casa oferecendo garfadas às crianças da família. Se você dizia "não pai não quero" ou "não tio não", ele inevitavelmente levava uma garfada à sua boca, e quem come um naco de banana com açúcar come dois ou come três.
No café da manhã, fazia os melhores tostex. Uma loucura, o preferido dos primos e das amigas. "Tio Tato, faz um sanduíche?". Nunca nos revelou seu segredo, mas eu acho que tem alguma coisa a ver com colocar um pouquinho de requeijão antes de levar à chapa, jamais exagerar na quantidade de frios e caprichar no requeijão um pouco antes de servir.
Uma vez, nós cinco passamos o Réveillon no quadrado de Trancoso, quando ainda nem tinha se tornado esse hype elefante. Mas os preços dos restaurantes já eram abusivos. Meus pais deram voltas e voltas, espiaram cardápios, se entreolharam e decidiram: então nossa ceia vai ser no Tostex. As três crianças achando ótimo e eles com aquela cara de frustração por estarem comendo sanduíches na última refeição do ano 2000
(não chegaram aos pés das criações do meu pai, mas foi divertido).
No último sábado passei a noite esparramada no sofá com os dois e pedi algo que não pedia a ele há anos: pai, faz um tostex? Chegou o sanduíche perfeitinho, sem queimaduras, feito para ser mordido. Dá vontade de comer dois, três, comprar a Wickbold.
Meu pai também é o grande responsável pela minha fixação (e a dos meus irmãos) por queijos cremosos, molho branco, tem coisa mais amorosa que catupiry? Quando comíamos fora de casa, nunca era difícil decidir os pratos: três capeletes com molho branco. É assim até hoje.
Hoje meu pai comemora 53 anos e vai ter pizza e música clássica e piscina iluminada. Emprestado, que é mais gostoso - não precisa lavar a louça depois, nem guardar o violino.
E a você, meu pai, além de todas as coisas, desejo, em vez de pedras no caminho, pedaços de tostex recheados com aquele queijo que você mais gosta.

4 comentários:

Theo disse...

quando vi era de hoje!
Não resisti a fazer o primeiro comentário do seu primeiro post.
Os tostex são mesmo uma imagem família. Eu que nunca cozinhei, me especializei nesses senhores que depois de uma passagem pela chapa, pegam essa cara arrumadinha. Comida afetiva de primeira. O Theo, A Anita, o Diego adoram.
Parabéns pro seu pai e muitos beijinhos prá você.
Bia Blandy

nana tucci disse...

bia, adorei! legal saber que os tostex têm essa afetividade para outras pessoas também. volte sempre e beijos em todos!

el pájaro que come piedra disse...

que as pizzas estavam fantásticas, e o chope, e o maestro na piscina até que foi bacana

Gabriela Bueno disse...

lindo post nã, ameei e um beijão no tio tato ;)