quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Reino do hoje


Fantasmas de negros assustados
dançam no porão do Solar do Unhão

Nachos e cerveja gelada.

Fantasmas de negras sonhadoras
dançam
no brilho dos teus olhos

A maré afoga a tragédia;

Por que Jorge Ben sabe de cor
a cantiga de Mariam
se ele nunca foi a África?

Seis horas da tarde
e os meninos da escola do Olodum
já começam a descer a ladeira.
Hora de tirar o abadá

*O título emprestei da Clara de Inês Pedrosa

4 comentários:

Jessica Bittencourt disse...

quem é o autor desse poema? Ou é tipo uma música? Gostei.
Bjs

Ana Elisa Faria disse...

Ai, Naneto! Eu também adoro esse seu espacinho, que é tão você.
Saudade, amiga. Muita.

beijo e um abraço apertado!

nana disse...

Oi Jessica, obrigada pela visita! Achei o poema em um guardanapo na mesa de um restaurante e fiquei encantada.
Que bom que gostou!
Abração e volte sempre

Georgia disse...

banetos, eeee, matei um pouco das saudades suas, com a sua volta ao blog!!!
beijo estalado!!