quarta-feira, 4 de novembro de 2009

palpite


Eu queria muito ter ido à casa da chef Lourdes Hernández domingo, no almoço em homenagem ao Día de Muertos. Não deu. Dias antes ainda cruzei com a Lourdes em um restaurante, ela fresca de vestido de verão, carregando açúcar. Queria entender o que o Día dos Muertos significa para ela e para os mexicanos e para mim. Tem a ver com aceitar nossas próprias sombras? Tem a ver com o recomeço de Virgínia? Por enquanto, me satisfaço com essa ilustração de Ernesto Fidel Romero Bayter.

2 comentários:

Ana Elisa Faria disse...

Ai, Naneto, que ilustração mais linda!
Saudade e beijo

nana disse...

Pois me lembrei mesmo de você! Veja que outras lindas ele fez.
Beijos, amiga querida