terça-feira, 5 de janeiro de 2010

na boca da bocaina


Ela se sente como um bebê, bebês carregam esse aperto no peito ― duro como couro de jacaré, pontiagudo como a faca do mais obstinado chef ― antes de nascer. O ano novo foi água, a cachoeira transbordava água da chuva, pelas costas descia o suor enquanto os dois subiam a ladeira dos Macacos com as camisetas na cabeça como uma guirlanda da paz. A noite da virada, para ela, foi de paz. Mas e esse peito que continua, ora sim ora não, com o peso de uma mala cheia de livros? Diz que bebê sente isso antes de nascer, o médico garantiu e o passarinho Tiziu.

Um comentário:

isabela disse...

e então a menina-boneca fez um primeiro post do ano dos mais bonitos de se ler e sentir.
não teria como não ser assim.
happy new year, nana!