sexta-feira, 26 de junho de 2009

alguma coisa


A atendente da Oi tinha um telefone não-Oi que eu vi no bolso do casaco. "Todos os nossos aparelhos são desbloqueados e nós não cobramos multa se você resolve sair". Vocês me dão um aparelho se eu entrar, suponho? "Ah, sim, nos damos. Quem pega o plano 100 escolhe um celular desse valor aqui (algo em torno de 600)." Ah, que ótimo! E aí, como funciona? "Funciona assim, senhora, a senhora paga o aparelho e a Oi te reembolsa nos próximos 15 meses, com R$ 35 por mês". Ahn. E se eu quiser sair da Oi antes de completar esses 15 meses, eu paro de ser reembolsada, eu perco o dinheiro? Ela faz cara de sem graça (deve ter sido nessa hora que o outro celular apareceu no bolso). Deus me livre, eu não levanto a bandeira para operadora nenhuma, mas pelo menos nas outras nunca comi maniuara achando que era camarão seco. E a moça do coffee shop não quis contar qual era a marca do café e a colega teve um ataque de riso daqueles de fazer cair lágrima. Eu me senti um adulto no elevador com crianças. Tudo bem, gente, eu só queria saber a marca porque acho o café de vocês muito bom e vocês tiram bem. "Nós não podemos dizer, ordem da chefia. Mas é normal as cafeterias dizerem qual é?". A menina cutucou a diretora da escola vilipendiando um colega. "Eu já avisei a professora, ele continuou. Eu disse 'David, se você continuar dizendo que eu namoro com ele, eu vou falar com a diretora'". O seu Argemiro perguntou por que eu estava ali na escola, depois dos anos todos. "Você tá com filho aqui?". As garotas escondidas atrás dos puffs da biblioteca me perguntaram com levadas risotas: "Você é a professora da biblioteca?". Dret me vine, como diz meu pai, você vem atrás.

2 comentários:

Anônimo disse...

no, no, no...
me dejó y se fué para el caribe?
no, no, no...
oh, sou um mísero tangedor de bodes vagando às margens dos riachos fétidos da predatória são paulo de piratininga...

nana disse...

mar verde nenhum ganha do tangedor de bodes! djamas! eu volto, eu voltooooooo