quinta-feira, 15 de abril de 2010

brow


O ritmo acelerado faz com que a gente converse pouco mesmo morando tão perto. Mas toda vez que eu falo com ele ao telefone ou por e-mail, ele diz eu te amo e eu digo eu te amo. É um tratado que a gente assinou nas nuvens para garantir: está tudo bem. Às vezes, tarde da noite, de pijamão, ele quer conversar e eu me desculpo pelo cansaço e vou deitar. Me arrependo praticamente na hora. De vez em quando, me dá uma coisa e eu ligo para ele só para ouvir o corriqueiro eu te amo, e de vez em quando a gente fica flanando na piscina e falando sobre o Ceará, sem saber que um de nós estava com um pé lá. Companheiro de berço, de castigos no lavabo, sonecas no banco de trás do carro amaciadas pelo cobertor de flanela. Palmeirense cacheado, sorriso melancia, pedaço de mim. Tem pessoas especiais, e tem o meu irmão. Ele é o melhor.

Foto: Ross Hong Kong

2 comentários:

Anônimo disse...

Hey irmã!
Adorei o texto, de verdade...
tenha certeza que estamos juntos e conte comigo para tudo nessa vida.
muito boa a fotinho do post!
te amo, um beijão, nico

nana disse...

sabia que você ia gostar da foto hahahahaha