domingo, 31 de março de 2013

Para a Bia



A Bia era tudo que uma garota de oito anos poderia querer como irmã: um bebê gordo e alegre que não parava de rir e rebolar
Que topava qualquer brincadeira, o tempo nunca fechava para ela.
*
Durante uns bons anos, sete talvez, nós dividimos o mesmo quarto
A gente vivia feito gato e rato!
Apesar de tudo que nos unia, não conseguia se entender
Eu queria enchê-la de beijos e abraços, dar dicas sobre o primeiro beijo, dar dicas sobre qualquer coisa, dividir os mais íntimos segredos
Eu queria ser a irmã mais velha de Hollywood
Na minha visão simplista do mundo, eu tinha certeza que se ela não me retribuía da única forma possível que eu inventei que se podia amar, era porque não me amava.
Não entendia que aquela era a minha cartilha de carinho, não a dela. 
Eu não tinha repertório para entender a dela
Ela virou "a difícil e teimosa" quando na verdade a difícil e teimosa era eu
*
Até que nos tornamos duas moças e um dia, não vou me lembrar qual - mas recente -  paramos de procurar um espelho uma na outra
De "difícil" passamos para... "diferente"
Começamos a nos descobrir e respeitar: ah, é, você gosta disso? Disso você não gosta? Ah, tá.
Conseguimos fechar a gaveta do passado  e encomendar um armário novo, cheio de gavetas vazias para serem preenchidas. 
*
Em janeiro de 2011, ela quis passar oito dias comigo em Angra dos Reis. Foi quando finalmente jogamos fora anos e anos, litros e litros de "água e vinho" e nos descobrimos um bocado parecidas
Ou "same same but different", para usar uma expressão tailandesa que aprendi hoje no blog da Talita
A gente come macarrão do jeito errado igualzinho, a gente ama queijo e molho branco com a mesma intensidade, recheia o pastel de arroz com feijão, adora contar histórias e faz amigos com a maior facilidade, pira numa feira hippie e acha que a vida é legal mesmo se faz chuva e não vai dar para tomar sol na paradisíaca praia do Aventureiro. 
Em Angra, foi a primeira vez na vida que alguém disse "como vocês são parecidas, vocês são irmãs?"
Nós duas somos loucas por doce de leite, e por frio. 
O signo dela, Áries, é o meu ascendente 
Ela é atraída por tudo que é zen, como eu
Por fotografia também
Outro dia descobri mais uma semelhança.  Nós duas detestamos cremes hidratantes que cheiram a morango e flores doces, somos da ala dos cítricos. 
Ah e, por coincidência, ela usa o mesmo perfume que eu usava quando tinha mais ou menos a idade dela. 
*
Mas somos diferentes assim: 
ela gosta de carro moderno e equipado, eu tenho um fusca e uma bicicleta; 
ela tem um cabelão loiro liso e corpo de modelo, eu tenho cabelo moreno curto ondulado, coxas grossas e, se me descuidar, engordo; 
Ela não pode pensar em comer camarão, eu como até formiga; 
Ela sabe usar o dinheiro dela com responsabilidade, eu sei usar com irresponsabilidade; 
  Ela ama propagandas desde pequenininha e vai ser uma publicitária criativa, ética e brilhante; eu, eu só penso que diabos aconteceu hoje com o bolo cremoso de fubá que não ficou igual aos outros?
Eu sou a Jovelina, gosto de colo e aconchego, ela é a Abacaxi, que demonstra seu amor de um jeito pouco usual e muito original, através de lambidas, e é a mais doce das criaturas e a guardiã da casa.
*
Na semana passada, quando comentei com ela que precisava de frases bonitas para um novo frila, na mesma hora ela encheu minha caixa de entrada de e-mails
Uau, salvou minha pele! 
Aquilo me emocionou 
Eu acho que foi porque estamos saindo do "igual mas diferente" e caminhando em direção ao "pode contar comigo sempre"
*
Tudo isso me fez pensar que a gente não nasce irmão de alguém, a gente vira irmão
A trajetória de cada par de irmão é muito particular 
Tem aqueles que precisam de poucas horas juntos para se reconhecerem, tem aqueles que demoram décadas para se encontrarem
Como em toda forma de amor, não há certo nem errado, mais ou menos bonito 
Só tem que ser livre
*
Bia, que delícia está sendo me tornar sua irmã!



foto: as irmãs Abacaxi e Jovelina, que se estranharam durante oito dias para então se amarem como nesta foto tirada hoje, domingo de Páscoa.





  

3 comentários:

thais disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
thais disse...

bonita!
irmão é tudo de melhor do mundo, quem descobre as coisas com a gente e depois noz faz redescobrir quem somos. ai, as diferenças são muitas, as mesmas que podem dar sentido a tudo. em casa é assim: 32, 36 e 40. mas estamos cada vez mais pra 2, 6 e 10. e como somos diferentes! e como só com eles eu tenho conversas e risadas que ninguém entende, tamanha a cumplicidade. você e sua irmã, duas sortudas! <3

Laine disse...

amo demaqis gatinhos tenho um q se chama farofa todo laranja , são fofos os seus